quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

2008!

2008!

Não, não farei resuminhos clichês sobre como foi o ano...
2008 foi louco demais e cheio de emoções e sentimentos inomináveis e decerto indescritíveis pra ser resumido assim por meras palavras...
Tentar descrevê-lo, no mínimo, corromperia os MOMENTOS!

Transcreverei aqui frases soltas, frases feitas e fragmentos de falas de filmes, de livros, músicas, textos, etc.; cheios de significado pra mim, que me marcaram e acompanharam de perto os meus momentos:

- "I'm not a concept. I'm just a fucked-up girl who's looking for my own peace of mind. I´m not perfect."
(Eu não sou um conceito, eu sou apenas uma garota fudida procurando por minha própria paz de espírito. Eu não sou perfeita)
Extraído da fala da personagem Clementine do filme "Brilho Eterno de uma mente sem lembranças".
.

"Sou uma coisa que pensa, isto é, que duvida, que afirma, que nega, que conhece poucas coisas, que ignora muitas, que ama, que odeia, que quer e não quer, que também imagina e que sente. Pois, assim como notei acima, conquanto as coisas que sinto e imagino não sejam talvez absolutamente nada fora de mim e nelas mesmas, estou, entretanto, certo de que essas maneiras de pensar, que chamo sentimentos e imaginações, somente na medida em que são maneiras de pensar, residem e se encontram certamente em mim. E neste pouco que acabo de dizer, creio ter relatado tudo o que sei verdadeiramente, ou, pelo menos, tudo o que até aqui notei que sabia."
(R. Descartes _ Meditações)
.

"- Ela parece distante... talvez seja porque está pensando em alguém.
- Em alguém do quadro?
- Não, um garoto com quem cruzou em algum lugar, e sentiu que eram parecidos.
- Em outros termos, prefere imaginar uma relação com alguém ausente que criar laços com os que estão presentes.
- Ao contrário, talvez tente arrumar a bagunça da vida dos outros.
- E ela? E a bagunça na vida dela? Quem vai pôr ordem? "
(Le Fabuleux destin d’Amélie Poulain)
.
"Voragem, vórtice, vertigem:ego. Farpas e trapos. Quero um solo de guitarra rasgando a madrugada. Te espero aqui onde estou, abismo, no centro do furacão. Em movimento, águas."
(Caio Fernando Abreu)
.

"Você tem tanto medo de se apegar que se desespera ao falar de si mesma."
.

"Você precisa internalizar isso!"
.

"Sim, eu sou uma má pessoa... Faz parte da minha natureza ser má. Me perdoe!"
.

"As duas desvantagens sociais de se fazer filosofia, é que você fica doido e amoralista."
.

"Não, essas regras são absurdas! Por quê?"
.

"Sorria, isso basta!"
.

"Em alguns momentos é preciso que você faça e veja as coisas de coração aberto, mente aberta, e se for preciso, de olhos fechados..."
.

"Não te ocorreu que talvez não sejas grande de mais? Que este espaço é que seja demasiado pequeno pra ti?"
(Filme: Peixe Grande)
.

"O ser é, só o Dasein existe." (M. Heidegger)
.

"Odeio que me roubem a solidão sem me oferecer verdadeiramente companhia."
(Nietzsche)
.

"A vida humana é um pêndulo que oscila entre a dor e o tédio."
(Schopenhauer)
.

"Nunca fui bem quando confrontada, algumas pessoas gostam disso, eu não."
(My blueberry nights)
.

“Sim. Não. Talvez!”
.

“Sentirei saudades!”
.

“Eu espero!”
.

“There's something in the air tonight.
A feeling that you have that could change your life.
There's something burning up inside.
I search out for you and our hearts collide.
With hearts on fire I reach out to you tonight”
(Há algo no ar esta noite.
Um sentimento que você tem que pode mudar sua vida.
Há algo queimando por dentro.
Eu procuro fora de você e nossos corações colidem.
Com corações em fogo eu chegarei em você esta noite!)
Cut Copy _Hearts on Fire
.

If I was young, I'd flee this town.
I'd bury my dreams under the ground.
As did I, we dream to die, we dream tonight.
(…)
Let the seasons begin - it rolls right on.
Let the seasons begin - take the big king down.”
(Se eu fosse jovem, eu fugiria desta cidade.
Enterraria meus sonhos no subsolo.
Como eu, nós bebemos até morrer, nós bebemos essa noite.
...
Que comecem as estações! - elas rolam como devem.
Que comecem as estações! - derrube o grande rei.)
Beirut_Elephant Gun
.


“O meu coração, meu coração,
Meu coração parece que perde um pedaço, mas não me leve a sério,
Passou este verão.
Outros passarão.
Eu passo”
(Chico Buarque_ Leve)
.

"São tempos difíceis para os sonhadores.''
(Le Fabuleux destin d’Amélie Poulain)
.

“É apenas isto: se você vai ser humano, tem um monte de coisas no pacote.Olhos, um coração, dias e vida. Mas são os momentos que iluminam tudo.O tempo que você não nota que está passando... é isso que faz o resto valer”
.
"O que é 'o que é'?
.

“Eu Amo!”
.


“And in the end,
The love you take…
Is equal to
The love you make.”
(E no final,
O amor que você recebe,
É igual ao que você faz.)
The Beatles_ The End.
A=A
.

E PARA 2009...

Eu desejo e espero... Menos violência, mais compreensão...
Saúde e Paz, o que creio eu, seja a base para a FELICIDADE, que creio também ser o objetivo da vida humana.
Tudo de melhor pra o mundo todo!
E pra encerrar do meu jeito... Paz, Amor, e um pouco de sacanagem!
Afinal, é disso que a vida é(ou pelo menos deveria ser) feita!!!
Obrigada a todos por tudo!
HAPPINESS!!!!
.
.
.
.
.
.
.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

FELIZ!


Um lugar, um olhar, um céu, uma esperança...

A noite anterior e a forma como se prolongou ao dia de hoje foram:

"LOUCOCÊNTRICOS".

Tanta coisa, em tempo tão curto...

Coisas ditas reveladas de tanto tempo adiado...

Tanto peso, tanta "liberdade roubada voluntariamente", e tanto riso que traz leveza!

Estou tão... tão... "Eufomedrofeliz"!

Uma mistura de sensações, um medo do que virá pela frente, a esperança e a crença na tentativa de deixar acontecer e...

VIVER!

E toda a confusão que se faz em minha mente não se torna cognoscível pelas minhas palavras.

Ai ai... Quero voar!
.
Escutando: Hearts on Fire_Cut Copy.
.
"There's something in the air tonight...
A feeling that you have that could change your life.
There's something burning up inside I reach out for you and our hearts collide...
With hearts on fire I reach out to you tonight
!"
.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

....Masks.....



É sério, eu não entendo...

Tanta coisa absurda!

Quanto mais eu vivo... Mais sinto repugnância à essência humana.

E existem coisas, em específico, que me dão cada vez mais vontade de viver SOZINHA no meu próprio mundo...

.

.

...Suffocated...

I'm feeling Suffocated...

Feelin' weak and weary Walkin' through this world alone...
I try to hold this under control. They can't help me, cause no one knows...
.
.
.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Feeling...

Feeling inside...

all that...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

SOBRE O "TORNAR-TE QUEM TU ÉS!"


"A coisa mais difícil da vida, é a gente se tornar quem a gente é.(...) As pessoas vão desvirtuando o teu caminho até que tu chegue no caminho que tu quer, em todos os setores da vida, sem opinião de pais, namorado, isso e aquilo...
É uma coisa difícil, tem que ser muito autêntico, muito forte pra
te tornar quem tu és!"

(( Carol Teixeira ))

.
.
.

O CONTIDO E INEXPLICADO (UM CONTO ÉBRIO)


Naquele dia, mais exatamente naquela noite... Ela resolveu pensar em como teria sido se ele não tivesse ido embora...
Já havia feito isso várias vezes, mas não de forma planejada, como pretendia aquela noite.
Enfim, decidiu que se entregaria por inteiro àquela ilusão, pra anestesiar as dores menores com uma dor suficientemente forte que a fizesse iludir-se novamente com a vida... Tão seca, tão dura, tão real, tão... VIDA, ultimamente.
Talvez aquele rapaz com um anjo desenhado nas costas nunca mais voltasse...
Ela decidiu que se dedicaria então à ilusão, pelo menos naquela noite, de que ele não havia ido embora.
Não conseguia chorar, e quando sorria era impossível não lembrar que havia algo que deveria estar lhe fazendo chorar... Algo que ela não conseguia explicar exatamente, como gostava de fazer/ou fingir (odiava o seu não-saber profundamente) ...
Nela havia aquele ar contido e inexplicado, que a tornava tensa e ao mesmo tempo tão apática...
Não conseguia conversar, achava naqueles tempos que não valia mais nada tentar se abrir como antes fazia, ou tentava, “ninguém a compreendia mesmo”...
Sentia falta do rapaz... Ele era SEMPRE verdadeiro com ela... Mas ele se foi.
Decidiu então escrever, há tempos não o fazia... Talvez por isso estivesse tudo tão confuso naquelas palavras que no outro dia talvez não fizessem nenhum sentido...
Algumas linhas e ela já não sabia o que escrever...
Só lembrava da casa vazia do moço do anjo nas costas, ela nunca vira o anjo... Nunca vira o anjo...
Seus pensamentos sonolentos não a faziam escrever nada racional e que as pessoas se interessassem em ler (por que ainda se preocupava com isso?).
Seu desejo profundo naquele momento era saber o que não lhe deixava rir e o que não lhe fazia chorar...
Dormir talvez fosse o remédio... Remédio para a sua consciência insone...
DORMIR... Ela precisava tanto desse anestésico que detinha o poder de fazê-la viajar, transitar, visitar o moço, ver o anjo...
Estava tão difícil alcançar o remédio, ia cair e derrubar tudo... Que horrível seria o barulho! Cacos de vidros, cacos de sonhos...
O que o rapaz estaria fazendo naquele exato momento?
Dormia? Estaria com alguém? Estaria vivo? Lembrava-se dela?
Ela não tinha notícias dele há algum tempo.
Ele era SEMPRE verdadeiro... Mas ele se foi...
Como seria se ele não tivesse ido embora?
“_Apenas isso! Não me venha, consciência, falar bobagens!”
Havia começado a pensar nos porquês de ele ter ido embora e de ela nunca ter visto o anjo...
Mas que droga! Ela decidiu, disse a si mesma que se dedicaria à ilusão! (Ele estaria perto dela naquele momento) ...
Não... Não conseguia... Sua cabeça doía... O remédio se distanciava...
MALDITA RACIONALIDADE!
Uma música desconhecida ao fundo, um barulho esquisito ao lado... E dentro: tempestade!
“Farfalhar de folhas secas”...
Sim! Estava conseguindo voltar a imaginar... Logo conseguiria iludir-se...
Sim, se o moço do anjo (que ela nunca vira) nas costas não tivesse ido embora...
A ajudaria a não ser tão lúcida-neurótica-confusa-vazia-cheia-ÉbriaDeRacionalidade-ComSentimentosTãoVulneráveis-TãoDescrenteNasPessoas-PretensamenteConsciente=MULTIPOLAR...
Ele era afinal SEMPRE verdadeiro, e nesse momento sua lucidez idiota a compelia a pensar que ele a deixaria pior, pois essa era a verdade sobre ela, esse SER-TODO-CONTRADITÓRIO!
"MAS QUE DROGA!" Ela disse a si mesma que iria iludir-se!
Não conseguira, a esse tempo, pensar, escrever, sorrir, chorar...
Deitou-se, a luz ainda acesa... Às vezes o escuro dentro dela era tão angustiante que preferia evitar o “duplo escuro”...
O moço do anjo nas costas... O que ele estaria fazendo agora?
Não sabia, queria iludir-se de como seria se ele não tivesse ido embora.
Deitou-se...
Fechou os olhos.
Silêncio e Luz Acesa. Não se via mais a cor dentro dela...