quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Pensamento rir pra não chorar do dia...



"Tudo passa....
.
Até uva passa!"


rá! rá! rá!
[Tentando desesperadamente me convencer disso mais uma vez]

.
Por que às vezes a gente parece esquecer desse fato
fardo...
.
.
.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Live and learn...


.
Contudo, com tudo...
No início e no meio você sempre aprende...
E enfim, no fim vê o quanto...
.
.
.
.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Belém...

Belém, Belém... Ao infinito e Além!
...
.
Hoje arrumei as coisas que ainda estavam bagunçadas da minha viagem à Belém; e cada objeto, cada detalhe, me trazia lembranças muito fortes... E era como balões coloridos indo bem alto... Lá em cima eles ficavam brancos, e no ar explodiam...
Eu costumo fazer essa analogia imagética pq apenas as palavras não dão conta... É preciso momentos, cores, "vida-visível" para expressar, ou ao menos tentar expressar o que sinto.
Hoje caracterizo aquela cidade como vulcão dos meus sentimentos, das minhas emoções... Lá eu cheguei aos meus extremos de forma plena, em sete dias. Fui extremamente angustiada e eufórica no primeiro dia, com uma mistura de expectativas, entre realizadas e frustradas; extremamente frustrada no início do segundo dia, seguido de uma extrema liberdade ao fim... Surpresa no terceiro, envolvida no quarto, apaixonada no quinto, feliz no sexto; desesperada, mas ainda feliz no sétimo...
Talvez esses conceitos que eu dei não tenham sido suficientes para a plenitude das minhas sensações naquela cidade encantadora. Acho que lá é o lugar propício para o seu encontro com o mundo e com você mesmo, principalmente por eu ter ido em um período em que o mundo inteiro estava lá.
Encontro com o mundo pela diversidade da influência de estilos e culturas: na arquitetua, nas pessoas, na natureza...
E o seu encontro consigo mesmo é dado ao se deparar com toda essa diversidade, toda essa euforia, toda essa abertura pra um mundo novo e colorido pra que possa encontrar ou reafirmar o seu...
O contato com a natureza nas ilhas, nas ruas arborizadas e nas praças...
O encontro com a história nos casarões, nos parques, no artesanato, no cais...
O encontro com a gramática bem aplicada na fala das pessoas, rsrs.
Tudo isso lhe proporciona uma harmonia e um prazer tão intensos que você tem a chance de olhar pra dentro de si mesmo e sentir-se. Comigo foi assim... Acho que o lugar tem uma forte magia que me causou isso...
O café na estação das Docas de madrugada, o sorvete do Parque da Residência e o
"pós-pôr-do-sol" no mangal das garças têm um gosto que fica pra sempre na memória...
E as lembranças das amizades, das paixões, das músicas (The Rain Song do Led Zeppelin, Don't Go Away do Oasis, e Sentimental do Los Hermanos foram as que mais marcaram) e de cada espaço visitado se transformam em novos balões coloridos... Que enchem, vão ao ar, ficam brancos e explodem lá em cima, derramando purpurina para todos os lados...
Não conheço todo o Brasil e sequer parte do mundo que ainda quero conhecer. Mas Belém me marcou de forma especial, e tenho certeza que quero retornar e passar um bom tempo lá...
E com tanto apego, agora só me resta muita saudade, até a hora de retornar...
.
.
.

[A imagem é da Estação das Docas, linda linda e um dos principais pontos turísticos de Belém]
.

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Coisas que não combinam...

Coisas que não combinam... Se vc insistir e fizer tais combinações, considere-se FUDIDO!
....
..
.

.
Memória X Passa-tempo
.
.
.

.
Instabilidade X "Deixar rolar"
.
.
.

.
Envolvimento X Vulnerabilidade
.

.
.

.
Sensibilidade X Ignorância (no sentido do não-conhecer)
.

.
.
.
Apego X Distância
.
.
.

.
Coração feminino X Mente masculina
.
.
.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

E eis que "os dispostos se atraem"

...
"Enquanto for... um berço meu...
Enquanto for... um terço meu...
Serás vida... bem-vinda...
Serás viva... bem viva...
Em mim..."
.

[Realejo _ TM]

.
.
.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

...A FALTA...


Falta: sf. 1. Ato ou efeito de faltar. 2. Privação. 3. Ausência.
.
Às vezes me encontro em um verdadeiro Heraclitianismo...
Creio agora, em um desses momentos, que apenas pode se sentir vazio aquele que já foi um dia completo...
Quero novamente a completude. Já conheço o vazio, e não gosto dele.
Também acredito que quando se conhece suficientemente a falta, e uma vez que se prova da presença, se passa a desejá-la sempre.
.
.
.
(Antes eu achava que podia sentir o vazio sem ter provado da completude, vejo que me enganei... Terei de achar um outro nome para aquele sentimento...)
.
Essa maldita necessidade de conceituar...
Queria transformar meus pensamentos em bolhas coloridas... As palavras às vezes me cansam, simplesmente por não darem conta...
.
.
.