sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Sobre os laços...

.
.
.
Sim, os laços que criamos com as pessoas, eles se rompem...
Às vezes de forma natural, às vezes eles são cortados.
Alguns deterioram-se com o tempo, outros caem rapidamente por não serem necessários...
Ou quando pessoas vão embora, os laços não são suficientemente fortes para permanecer.
E esse ir embora nem sempre é geográfico...
Algumas tesouras surgem de lugares inesperados para cortar os laços; afinal, dizem que a vida é uma caixinha de surpresas. Pois eu digo que é uma caixinha adornada com laços...
Outras tesouras surgem de dentro de nós ou de dentro de quem julgávamos conhecer... Pois as surpresas nem sempre são agradáveis.
Cortes de laços geram mudanças... São pequenos grandes cortes na alma, que precisa aos poucos ser reajustada.
Mudanças são necessárias, mudanças geram mudanças...
Algumas "más" geram "boas", e outras supostamente boas geram más.
E assim vão se criando ciclos e mais ciclos de mudanças, assim o mundo funciona, assim o mundo gira.
O fato é, os laços sempre serão rompidos, o modo como você reajusta o que ficou é o que vai contar no final.
Abrir a caixa, limpá-la muito bem... Puxar o grande laço que nos liga à vida, o mais importante.
Depois... Rearrumar velhos laços, criar novos, guardar alguns...
Reajuste, eis o grande trabalho a ser feito!
.
.
.
"A grandeza do homem consiste em que ele é uma ponte e não um fim; o que nos pode agradar no homem é ele ser transição e queda."
(F. Nietzsche)
.